A grande força da Criatividade

Criatividade talvez seja a maior força divina compartilhada com todo o universo. O Amor que surge da Fonte do Absoluto nos faz sentir parte de algo maior que o próprio senso de “eu”. Tal Amor nos faz sentir participantes do universo. Contudo, a criatividade nos faz sentir colaboradores dessa grande obra. A energia criativa dá forma e direção ao poder da vontade.

A força da Criatividade como resolução

Para Gurdjieff, todos os processos do universo, incluindo a própria criação, se resolve seguindo um desdobramento em uma série de nove etapas. Assim, a figura do Eneagrama é a que melhor descreve o processo de desdobramento do raio da criação. Na verdade, a maior redução que um ser humano consegue realizar é uma série de três. Assim, o três representa a Mente do Absoluto. Afinal, como vimos no Ponto 9 do Eneagrama, o três representa as forças afirmativas, negativas e de reconciliação em coexistência e em plena harmonia. Em outras palavras, livres de tensões.

No entanto, no Ponto 8 do Eneagrama, as mesmas forças estão agora externalizadas no próprio universo. Assim, as forças que afirmam e negam criam uma constante polarização. Portanto, se faz necessário a introdução de uma força harmoniosa que resolva as tensões desta polaridade entre o Ponto 8 e 9. Tal força se faz presente no raio da criação no Ponto 7 do Eneagrama. Ainda mais, essa força é a energia da criatividade.

Em suma, o Ponto 7 no Eneagrama, pela lei de três, deve reconciliar as tensões existentes entre o Ponto 9 (não existência) e o Ponto 8 (existência). Assim, o que pode trazer resolução para este conflito e tensão? Além disso, que resolva tal tensão mantendo o propósito e objetivo do raio da criação? A força que tem o poder de fazer isso é a força da criatividade. Somente a criatividade pode encontrar soluções fora do campo de tensões.

Criatividade, ideia e sonho

Se há uma tensão é porque há polaridades. E na tensão da polaridade estará presente um campo que sempre busca anular o outro. De outra maneira, está na tensão uma visão de que somente pode existir “ou isso ou aquilo”. Contudo, a energia da criatividade traz o “nem” e o “e” para a equação. Assim, o “ou” presente na equação da polaridade, que limita a escolha entre duas opções, abre para uma janela de infinitas opções.

Portanto, entre esse jogo de tensões das polaridades, surge uma ideia. Uma possibilidade diferente e não existente no jogo de tensões. Então, é a partir de uma nova ideia que se constrói toda uma nova realidade. Assim, a criatividade começa pela simples existência de uma nova possibilidade perante o que já existe. Na possibilidade de um novo arranjo e organização das forças e vontades, sendo agora direcionadas de uma maneira que algo novo é criado.

A conexão com tal força criativa que traz a possibilidade de construir algo novo, faz parte da essência do ponto 7. Assim como a essência da personalidade que se cristaliza no ponto 7. Entretanto, toda nova realidade criada também trará novas polaridades e novas tensões. Dessa forma, isso levará a novas necessidades criativas. Portanto uma possibilidade levará a outra numa incessante diversificação criativa. Em suma, o universo é um grande caldeirão criativo e dinâmico. Nada fica estático, pois, toda resolução ocasionará novas tensões e que provocarão a necessidade de novas resoluções.

A prazerosa sensação de resolver pela Criatividade

Porém, devemos observar que todo alívio de tensão gera uma sensação prazerosa. Para perceber isso você pode realizar um experimento bem simples: segure um peso por um tempo suficiente até sentir desconforto. Tente persistir por mais um tempo após sentir esse desconforto. Depois solte o peso e relaxe. Note que ao resolver a tensão (ao soltar o peso), você sente uma sensação prazerosa de alívio.

No entanto, o que é ser criativo? O que é a energia da criatividade? A palavra criatividade vem do latim creare, que significa a capacidade de criar, produzir ou inventar. A criatividade é uma faculdade ou habilidade que permite encontrar novas maneiras de executar tarefas com a intensão de satisfazer um propósito. Um artista cria uma obra com um propósito. Existe uma inquietação interior que precisa ser externalizada em sua obra. E tal obra precisa representar a mensagem que se busca expressar. Portanto, a criatividade busca satisfazer a força da vontade e desejo da melhor maneira possível.

A força que te faz cocriador do universo

Portanto, no jogo das tensões das polaridades, a criatividade permite a emergência de algo único e original. Também é importante notar que a energia da criatividade é sensível aos problemas, conflitos e lacunas no conhecimento. Em suma, é uma energia sensível a desarmonia do próprio universo. Assim, a energia da criatividade busca identificar as dificuldades e a encontrar soluções. A criatividade se manifesta como ideia original. Logo, por ser uma ideia pressupõe ser uma faculdade mental.

Quanto maior a sensibilidade a necessidade de resolver as tensões de uma forma original, maior será a criatividade. Contudo, o oposto da criatividade é justamente todo e qualquer resolução mecânica, repetitiva e rotulada. Dessa forma, o Ponto 7 percebe que repetição e rotinas são um desperdício de energia que não contribui para a própria criação do universo. Da mesma maneira, a personalidade cristalizada no Ponto 7, sente sua própria energia vital desperdiçada pela falta de atuar criativamente na vida.

Curiosidade salvou o gato

Outro atributo que acompanha a energia da criatividade e a curiosidade. Não é possível ser criativo sem ser curioso. A curiosidade nos leva a pensar nas novas possibilidades e a experimentar o novo. Afinal, a curiosidade se torna uma força motivacional que direciona a força de vontade para realizar uma ação. É uma força que busca satisfazer a si mesmo. Porém, a curiosidade é uma grande força motivacional. Contudo, é tão inquietante que quando alguém se põe curioso sobre alguma coisa, dificilmente essa força se esvazia sem ser devidamente satisfeita. A curiosidade também é uma força e faculdade mental. E assim, busca entender o “por quê” das coisas através do aprendizado contínuo.

Muitas tradições dizem que “Deus” (o Grande Absoluto) teve a curiosidade de conhecer a Si mesmo. Assim, Ele criou o mundo exterior a Si para poder se ver. Então, por essa narrativa, podemos ver que o universo é curioso de si mesmo. Isso pode ser dito em especial sobre os seres biológicos, seres de vida orgânica. Portanto, o Ponto 7 no Eneagrama reflete essa força curiosa de querer saber o que é. No entanto, a falsa personalidade do Ponto 7 se confunde com essa necessidade de satisfação pessoal inerente do Ponto 7 do Eneagrama.

Liberdade criativa

Contudo, a energia da criatividade aparece presente dentro da própria existência das tensões da polaridade. Soma-se ao fato que não pode haver criatividade sem haver liberdade. Logo, é uma lei universal ter a liberdade de poder criar e direcionar essa energia para o que desejar. Por consequência, o uso da criatividade pode ser tanto usado para um bem maior quanto para pura satisfação egoísta. Pior ainda, como Gurdjieff dizia, o pouco de criatividade e liberdade existente no ser humano acaba sendo usado para o processo de destruição recíproca. Assim, a mesma liberdade, criatividade e curiosidade que levou a invenção de vacinas também permite a criação da bomba nuclear e de câmara de gás para extermínio em massa.

Não obstante, devemos refletir o que permite ainda que tantas abominações sejam realizadas contra todos os seres vivos desse planeta Terra. Uma possível resposta vem da falta de criatividade associada aos centros superiores emocional e intelectual. A ausência de trabalho interior verdadeiro, de indivíduos e coletivos, simplesmente faz com que a mecanicidade e repetição de padrões de destruição recíproca sejam mantidas. Em outras palavras, nada de novo é criado a não ser novas maneiras de repetir os mesmos velhos hábitos de aniquilação mútua.

A preguiça é a mola propulsora da inventividade

Todavia, para Gurdjieff, o grande motor da inventividade moderna é a preguiça. Afinal, o ser humano quer sempre achar meios de fazer algo mais fácil e que lhe dê menos trabalho. É a preguiça que mais vende o sucesso. Ache uma maneira de reduzir o trabalho de alguém e tal pessoa comprará esse produto. Infelizmente, quanto mais tempo ocioso é dado as pessoas, menos elas sabem usar deste tempo. Logo, a maior parte desse tempo será usado para autoindulgências. Portanto, não é a “falta de tempo” ou atividades da vida que dificultam alguém de progredir em seu trabalho interior. O verdadeiro obstáculo está em trazer o novo para dentro de sua própria mecanicidade.

A falsa personalidade do Ponto 7, confunde o uso da energia criativa para trazer o novo para si com o sempre criar novas experiências exteriores. Tais experiencias são absorvidas pelos sentidos. Então, se cria esse vício mecânico de sempre repetir o padrão de buscar novas experiências. Contudo, o novo não virá de fora. Esse novo surge como fruto de longa observância de suas tensões interiores. Além disso, somente apaziguar as tensões pelo ato de autoindulgência é o que Gurdjieff chama de “auto calma” (selfcalming). Contudo, essa é a maior de todas as doenças humanas. Toda e qualquer resolução criativa exige o esforço, a dor voluntária e consciente de participar do sofrimento da criação. É neste atrito das polaridades, juntamente com a presença da energia criativa, que surge originalmente a possibilidade de algo novo.

Sonhar é melhor que não sonhar, mas é preciso fazer

Somente o fato de se ter uma ideia de que resolva uma tensão já é um sonho reconfortante e prazeroso. Traz uma alegria de recriar uma harmonia, agora na matéria. O vício da falsa personalidade do tipo 7 não é muito diferente do tipo 9 em relação a fuga da dor e desconforto das tensões. Assim, para a falsa personalidade do tipo sete, se torna um vício ficar na imaginação sobre o que poderia ser ao invés de estar presente no aqui e agora.

Além do mais, existe um longo caminho entre a ideia original e concretizar a resolução das tensões. Como exemplo, a milênios o ser humano busca solução para doenças. No entanto, para obter a primeira vacina, foi exigido um longo acúmulo de esforço e trabalho humano.

Sonhe com dias melhores, faça algo hoje para isso

Devemos sempre aprender com o Ponto 7 do Eneagrama que, apesar de tanto sofrimento e dificuldades, poder participar do processo criativo do universo nos conecta com a alegria de viver. Ainda mais, nos conecta com um propósito para a vida. Afinal, cada um pode e contribui criativamente para isso, a sua maneira. Assim, a vida se torna uma constante aventura. Portanto, todo sofrimento passa a ser compreendido como oportunidade de resolver, melhorar e criar novas alternativas. Em suma, o sofrimento é somente a expressão da própria bondade divina em querer achar uma solução melhor para todo o universo.

Enfim, o espírito do Ponto 7 do Eneagrama é de carregar a alegria de Sísifo. Sísifo após enganar os deuses por várias vezes, foi eternamente condenado a carregar uma pesada pedra até o topo de um morro somente para jogá-la abaixo e vê-la rolar. Assim, tornou-se conhecido por executar um trabalho rotineiro e cansativo. Tratava-se de um castigo para mostrar-lhe que os mortais não têm a liberdade dos deuses. Os mortais têm a liberdade de escolha, devendo, pois, concentrar-se e comprometer-se nos afazeres da vida cotidiana, vivendo-a em sua plenitude, tornando-se criativos na repetição e na monotonia [wiki].  

Para entender mais, fica as sugestões

Wall-e , um robô é o último morador da Terra que foi completamente depredada (Sísifo?). Enquanto os humanos vivem conduzidos pela preguiça, falta de propósito e criatividade. A inventividade é usada para a auto satisfação).

Big Fish , a história de uma vida pela ótica da aventura e criatividade.

Forest Gump, corra Forest, corra! Viver é achar soluções a cada momento e não desistir.

Auto da Compadecida, afinal, só sei que foi assim.

Uma ótima semana de estudos para todos vocês

Lauro Borges

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: